9 de maio de 2009

A guerra dos Offices está apenas começando

Uma das minhas tarefas profissionais é estudar a viabilidade do OpenOffice nas empresas e como tornar a migração do MS-Office para o OpenOffice o menos traumática possível para o usuário. A idéia central é sempre conquistar o usuário para que ele perceba que as diferenças entre o MS-Office e o OpenOffice não compensam o preço de uma licença de R$1.000 por máquina e que o OpenOffice tem vantagens competitivas muito interessantes.

Nos últimos três meses, diversas notícias tem me chamado a atenção e comprovam que a guerra dos Offices está apenas começando e achei interessante compartilhar este recorte com a comunidade.

A primeira é uma notícia antiga mas só agora pude testá-la: foi a implementação do Vero - que é o verificador ortográfico do BrOffice (versão OpenOffice brasileira). O Vero já incorpora o acordo ortográfico da língua portuguesa e está azeitado - funcionou muito bem comigo. Enquanto isso, a Microsoft já declarou que só lançará uma versão do corretor com a nova norma em 2011!!!

Por conta disso, tenho um cliente que já baixou uma norma na empresa que qualquer documento externo deve ser corrigido pelo OpenOffice antes de ser enviado para os clientes. Ou seja, apesar de grande parte da empresa ainda utilizar MS-Office, eles estão incorporando o OpenOffice na rotina diária da empresa e os poucos micros que ainda não tinham OpenOffice, tiveram a suite instalada. Se você quer aprender a instalar o corretor, veja aqui

O que os usuários podem começar a pensar? Por que eu vou usar o MS-Office se eu posso utilizar direto o OpenOffice?

Uma outra grande vantagem de se utilizar o OpenOffice: ele abre arquivos no formato DOCX e XLSX! Aí você pode indagar: ué, o MS-Office obviamente também faz isso!!! Eu vou responder: não caro amigo! Somente o MS-Office 2007 faz isso. Se o parque de computadores da sua empresa for heterogêneo, com várias versões do MS-Office, as versões mais antigas não conseguirão abrir!

Me diga se isso já não acontece na sua empresa: um usuário recebe uma planilha em XLSX via email e tem que pedir para o amigo do lado converter ou então pedir ao fornecedor que envie no formato XLS. É uma perda de tempo, concorda ? Enfim, é uma torre de Babel!!

Dicas de como solucionar este problema:

Solução 1: Utilize o OpenOffice 3! Ele abre todos os tipos de arquivo: ODS (nativo do OpenOffice), XLS (versões anteriores do MS-Office) e XLSX (Somente MS-Office 2007). Essa é mais uma razão que faz com que os departamentos de TI estejam se movimentando para instalar o OpenOffice em conjunto com o MS-Office.

Solução 2: Faça o upgrade de todas as máquinas. Dê essa sugestão para o seu chefe ou para o financeiro da sua empresa, eles vão adorar :)

Solução 3: Aplicar o novo patch da Microsoft para ler XLSX através do MS-Office 2003. Por conta da reclamação dos usuários e da solução OpenOffice, Redmont foi obrigado a lançar um patch para que este pudesse ler os novos formatos. Na verdade, ela relutou muito em lançar este patch pois queria, como sempre, forçar o upgrade para versão 2007. Como as empresas não estavam fazendo o upgrade, ainda mais por conta da crise, ela teve que lançar o patch...

Penúltima notícia do front: a Microsoft lançou um patch para que o ODF pudesse ser lido! Ou seja, apesar da alegação constante de que somente uns gatos pingados usam OpenOffice, eles tiveram que lançar o patch. É um sinal que tem muita gente reclamando, concordam?

Mas eles não iriam capitular assim tão fácil: o que parecia ser uma solução para usuários, se tornou mais um capítulo para esta guerra. Os conversores para ODF vieram com defeito e a Microsoft não quer consertar. Não se pode garantir essa conclusão, mas não fica parecendo que eles lançaram o patch apenas para denegrir a imagem do ODF, lançando a idéia de que ele é instável... É a velha tática FUD tão utilizada pela Microsoft.

Como eu disse no título: a guerra está apenas no início e como em toda guerra, as primeiras baixas são sempre a verdade e os inocentes usuários...

Links:
Como instalar o BrOffice
Como instalar o Vero
Postar um comentário