26 de agosto de 2007

Notebook Compaq 6210BR com Mandriva 2007

Não resisti aos preços baixos dos notebooks que entraram no programa do programa Computadores para todos do governo federal e comprei um essa semana. Depois de pesquisar por 2 semanas, resolvi comprar um HP Compaq 6210.

Obviamente, eu não iria comprar um notebook com Windows assim busquei as melhores opções com Linux no mercado. Busquei no Submarino, Americanas, Ponto Frio, Casas Bahia, DELL e algumas lojas do InfoCentro no centro do Rio. O que eu achei interessante era que todas as configurações com Linux eram low-end, ou seja, tinham pouca memória (256Mb) e com processadores mais lentos. Talvez, as empresas achem que o consumidor quer Linux para economizar e não pelas funcionalidades do sistema. Senso comum...

Muitos podem falar: pô Josir, deixa de ser radicarl!! Mesmo que o computador com Windows tenha uma boa configuração, vc vai deixar de comprá-lo para não dar dinheiro para a Microsoft? Apesar de ser realmente radical (tradução livre para radical: quem vai à raiz dos problemas), o meu raciocínio foi bem prático: se eu compro um computador com Linux, eu terei certeza que os componentes nele instalados terão drivers para Linux. Por exemplo, o DELL e o Acer que tinham uma relação custo-benefício muito boa, tinha a placa Wireless sem drivers para Linux!

Pois bem, as opções finais ficaram entre um Sempron da Acer, um Celeron M410 da Positivo e por fim um Sempron Compaq. Porque a decisão final caiu sobre o Compaq? Por um único motivo: a memória de vídeo. Como eu queria impressionar os meus amigos com o Beryl :), eu precisava de um notebook com pelo menos 128Mb de memória de vídeo. E o único dos modelos que tinha uma boa placa de video era o Compaq. Todos os outros só chegavam a 64Mb e assim mesmo compartilhada. O único defeito era a pouca memória RAM (256Mb) mas isso poderia ser facilmente resolvível com a compra de um pente de 512. Com isso, teria 512Mb de memória real e + 256Mb para a memória de vĩdeo! Preço R$1.7999 em 12x na Ponto Frio. R$150,00 por mês - uma pechincha.

Agora era testar o bichinho e torcer para que ele funcionasse bem com o Mandriva. O boot foi rápido e o sistema entrou com o KDE sem pedir login. A configuração vem com TUDO de importante instalado: OpenOffice 2, Firefox 1.5 com Java e Flash. Senti apenas falta do Thunderbird. Mas nenhuma outra distribuição traz o Thunderbird mesmo. O default, não sei porque, é o Kmail ou o Evolution.

Na parte de multimídia, coloquei um CD de música e ele começou a tocar imediatamente. Na parte de DVDs, a coisa já não foi tão boa. Ele so reconhece DVDs desprotegidos (sem Area). Peguei um DVD do Forest Gump do meu amigo Rodrigo mas ele não funcionou. Para quem está acostumado com a liberdade do Ubuntu, isso foi um contratempo.

Um outro ponto fundamental era a rede Wireless, principal motivo da compra do Notebook. Depois de alguns ajustes na configuração do protocolo a ser utilizado, funcionou perfeitamente com um roteador DLink DI-524. Apesar dele não alcançar 100% da conexão, a Internet roda sem problemas. Fiz uns uploads e downloads e não senti problemas na velocidade.

Os manuais vieram com instruções para o Mandriva em português e com DVD de recuperação. Enfim, sou um novo usuário feliz da Compaq. Agora é aprender como fazer as atualizações do sistema, instalar o Thunderbird e abrir o programa de DVD para ver qualquer região. Na próxima, eu vou falar como se deram estas instalações.
Postar um comentário