26 de dezembro de 2005

Depois do Dilbert, até eu tinha que entrar...

Eu resisti, demorei, me questionei, mas acabei criando um blog. Tá certo que eu não tinha tempo nem para me coçar pois estava escrevendo a minha dissertação. Mas agora que acabei o mestrado, não tenho outro álibi para não começar a escrever os meus pensamentos caóticos e libertários sobre informática, comunicação, política, filosofia, religião, ou seja, tudo que for polêmico.

O nome do Blog "Fronteira Digital" tenta sintetizar o foco que tentarei dar ao conteúdo dos textos, examinando a fronteira entre o digital e o analógico sob o ponto de vista de quem desenvolve software e tem uma visão crítica mas otimista sobre a sociedade da informação.

Um das motivações que me fez criar o blog foi a notícia de que o Scott Adams tinha criado o seu próprio blog. Para quem não sabe ou não lembra, Adams é o criador do Dilbert, aquele personagem de cartoon que é um funcionário irônico, corrupto e aterrorizado pelo chefe e que nos faz lembrar tanto algum colega de trabalho que temos ou já tivemos.

Fui ler o blog do sujeito e descobri como o cara é sarcástico e não tem nenhum pudor seja para satirizar Jesus Cristo, Madre Teresa de Calcutá ou Bill Gates. Ou seja, eu tinha a idéia de que ele era um cara interessante mas ao ler os seus posts, vi que o sujeito é mais um daqueles idiotizados e apáticos que só sabem criticar e não trazem nada de positivo para a sociedade.

Assim, cheguei a conclusão que também deveria começar a escrever para tentar fazer um contraponto ao nefasto e ao conservadorismo. Assim, mesmo sabendo que não irei vender tantos livros quanto o Dilbert e que não terei uma audiência tão grande, decidi iniciar este humilde mas ferrenho blog.
Postar um comentário